12.4.05

E Flutua

O espírito voga leve, e flutua
no vento que assola o pensamento,
induzido na virtude do tormento
de querer fazer nossa a carne tua!

Anseia pelo momento que é feito
De certezas. O mais esperado...
De que o corpo belo e amado
Se una ao outro por direito.

Num sonho de abrigo, recatado,
Onde dissimulado e escondido
Anseio e desejo proibido
Se confundem lado a lado.

Espera a oportunidade sentida
Num corpo na vontade moldado,
Depois de muito ter porfiado
Naquela imagem tão querida.

E eis chegado o momento
Tantas vezes desejado,
Outras tantas imaginado
Mente e corpo em movimento.

Voga finalmente a direito
na pele estribada vontade,
Razão de tanta felicidade
Partilhada naquele leito.


(João Fernandes)

1 comentário:

Mendes Ferreira disse...

...fiquei por aqui a flutuar...à espera de esperar e tardava.não existe esse mistério. existe o terrível prazer de ler.De O ler. Bj. Boa Noite.